Adiada: Caso Darci e João do Verdurão será julgado no próximo dia 31

Tablóide Pará

O ato judicial anterior foi feito através de Agravo Interno no Agravo de Instrumento, Ação de Investigação Judicial Eleitoral e Abuso do Poder Econômico, para tratar da Ação de Investigação Judicial Eleitoral e Abuso do Poder Econômico; caso requerido pelo Partido Renovador Trabalhista Brasileiro – Comissão Provisória Municipal de Parauapebas do Estado do Pará, que representa contra Darci José Lermen e João José Trindade, prefeito e vice-prefeito, respectivamente, eleitos no pleito de 2020.

Naquele ponto do andar do processo, na decisão tomada pela a Juíza Eleitoral da 106ª Zona Eleitoral, Priscila Mamede Mousinho, foi determinado a expedição de ofício à Superintendência da Polícia Federal em Marabá para que remeta a este Juízo, caso existente, perícia realizada no telefone da testemunha Marcelo Nascimento Beliche nos autos do inquérito policial, sendo possível a utilização, no processo eleitoral, da prova obtida por interceptação telefônica legalmente produzida em procedimento investigatório criminal.

Para a sequência do processo, a magistrada marcou audiência de instrução presencial para hoje, 20 de agosto, as 09:00 horas, a ser realizada na Sede do Cartório Eleitoral da 106ª ZE – Parauapebas/PA.

No entanto a pedido da defesa das partes acusadas, a audiência foi adiada para o próximo dia 31; tendo como objetivo o exame mais detalhado da documentação para que se possa fazer manifestação mais segura.

Tablóide Pará

Welington Valente, advogado de João José Trindade (João do Verdurão).

O advogado Welington Valente, que representa o vice-prefeito de Parauapebas, João José Trindade (João do Verdurão), sendo uma das partes acusadas, esclareceu à equipe de reportagens do Portal Tablóide Pará, que o ônus da prova cabe a quem acusa. “Só o PRTB tem o dever de provar. A defesa está muito segura do que foi feito e apresentado no processo de que não houve nada disso. Já que a doação foi feita de forma liberal pelo doador”, explanou Welington, dizendo não poder explicar o que motivou o PRTB a formular a denúncia, por não poder, ainda segundo ele, não ter propriedade, autoridade e nem procuração para tal.

Outra informação trazida pelo mesmo advogado é que, com o adiamento da audiência, as testemunhas, já arroladas no processo, saíram do local já intimadas a comparecerem na audiência que será realizada no dia 31 deste mês, agosto, a partir das 9 horas.

Relacionadas