TPI emite mandados de prisão contra integrantes do governo de Putin por Guerra na Ucrânia

Rússia criticou decisão e disse que é “guerra híbrida do Ocidente” contra o país. Putin também já teve o mandado de prisão decretado pelo TPI

Tablóide Pará
Shoigu e Gerasimov são alvos do Tribunal Penal Internacional © ANSA/EPA

 

Moscou/Rússia – O Tribunal Penal Internacional (TPI) emitiu nesta terça-feira (25/6) mandados de prisão contra o ex-ministro da Defesa da Rússia Serghei Shoigu e o chefe do Estado-Maior, Valery Gerasimov, por supostos crimes cometidos durante a invasão russa à Ucrânia.

Em um comunicado de imprensa, a Corte acusou a dupla de cometer “crimes de guerra” e “crimes contra a humanidade” pelos danos causados à população civil ucraniana.

Os juízes concluíram que havia “motivos razoáveis para acreditar que os dois suspeitos são responsáveis pelos ataques com mísseis realizados pelas forças armadas russas contra a infraestrutura elétrica ucraniana entre 10 de outubro de 2022 e até pelo menos 9 de março de 2023”.

Segundo o TPI, há elementos que indicam que as ofensivas foram dirigidas contra objetos civis e causaram danos incidentais excessivos a civis.

Por sua vez, o Conselho de Segurança Nacional de Moscou reagiu à decisão do Tribunal Penal Internacional  e disse que a medida faz parte da guerra híbrida do Ocidente contra a Rússia.

Atualmente, o general russo Gerasimov ainda é chefe de gabinete, enquanto Shoigu, que era ministro da Defesa do presidente Vladimir Putin na época, é secretário do Conselho de Segurança Nacional.

Os dois mandados de prisão elevam para quatro o número total de altos funcionários russos procurados por crimes de guerra. O TPI já pediu a detenção de Putin e da oficial russa Maria Lvova-Belova por um suposto esquema de deportação de crianças ucranianas para a Rússia.

Relacionadas